Varejo

Dia de descarte, organização e limpeza

Esta semana, participei de um evento de extrema relevância para o varejo aqui do interior. Trata-se do 4º. Fórum Regional do Varejo realizado pela Associação Comercial de Campinas. Entre inúmeros temas que foram abordados e que posteriormente irei compartilhar, fica mais uma vez evidente, que o varejo precisa neste momento desenvolver simultaneamente um manual de sobrevivência, com foco em produtividade e gestão e começar a por em prática um novo plano de ação baseado em estratégia e inovação.

Ter loja virou coisa de “gente grande” e isto nos obriga a repensar todas as atividades operacionais da loja física.

Não vou abordar tendência e nem estratégia hoje. Vou prosseguir com sugestões mais simples, criando uma sequência do post anterior, mas também partindo da premissa que a efetividade operacional será obtida apenas quando as atividades e funções da loja forem desenvolvidas num ambiente organizado, limpo e que estimule a essência do varejo que é vender.

foto83.JPG
Muji – Loja japonesa espalhada pelo mundo, com mais de 30 anos e que aposta numa organização minimalista

Na esfera gerencial há várias ferramentas de organização que nos permitem ganhos na produtividade. Como o Programa 5S (método japonês criado em 1950 para ajudar na reconstrução do país no período pós-guerra) é o mais popular, vou usá-lo com ênfase nas mudanças necessárias visando promover bem-estar e inspiração para novas ideias.

Cada fase do programa é formada por uma palavra que começa com a letra S. No Brasil, para tornar seu estudo didático, foi utilizada a palavra “Senso”:

  • Seiri: Senso de utilização;
  • Seiton: Senso de organização;
  • Seiso: Senso de limpeza;
  • Seiketsu: Senso de bem-estar;
  • Shitsuke: Senso de autodisciplina;.

A proposta de aplicação na loja, começa com o Senso de Utilização. É necessário aqui, separar o que pode ser descartado, doado ou remanejado.

Na sequência, temos o Senso de Organização, que irá permitir reavaliar os espaços da loja, a funcionalidade dos equipamentos, as manutenções necessárias e as facilidades na rotina que poderão ser obtidas com a organização realizada.

Fechando este primeiro horizonte, temos o Senso de Limpeza, que prevê a higienização do ambiente de trabalho: paredes, prateleiras, armários, nichos, vitrine, área de estoque, provadores, caixa etc;

Vamos então às dicas práticas para promover estas melhorias:

  • Envolva a equipe, crie um dia ou defina horários para iniciar o descarte (classificar: uso sempre / uso eventualmente / nunca usei). Incentive que as pessoas da equipe, neste dia usem roupas confortáveis.
  • Defina um lugar onde tudo o que não está sendo usado possa ser deixado para destino final (reciclagem, doação, lixo);
  • Faça uma lista de todos os locais que devem ser avaliados: área de caixa (todos os armários, gavetas, estoque, área de vendas, escritório, refeitório, vitrine, provadores, fachada etc);
  • Avalie a condição dos cabides, araras, nichos e prateleiras;
foto87
Cabides em perfeita ordem e customizados
  • Exclua do ambiente de vendas banners, faixas, cartazes de promoções que não tenham mais aplicabilidade;
  • Não coloque mensagens ou comunicação para o cliente no provador ou em outras áreas com espelho. Qualquer tipo de comunicação com o cliente, deve preferencialmente, estar localizadas junto à área do caixa.
foto84
Provador criativo: Vou levar, não levar e talvez!
  • Separe o que precisa ir para manutenção (equipamentos eletrônicos) e liste o que precisa ser comprado;
  • Organize o espaço da área do caixa: crie espaços para os itens de escritório, embalagens e principalmente para os pertences dos funcionários;
foto90
Área de caixa organizada da MeMovie
  • Avalie os documentos arquivados: consulte seu contador sobre o prazo de validade da “papelada”, permitindo jogar fora aqui que já superou as determinações vigentes;
  • Identifique os espaços organizados com etiquetas para facilitar acesso;
  • Ao armazenar produtos com validade use a técnica do PEPS – primeiro a entrar será o último a sair;
foto92
Espaços definidos para facilitar o dia a dia!
foto88
Áreas de promoção mapeada com apoio de caixa de papelão, mas com estética agradável
  • Para fechar o dia, promova a limpeza destes ambientes criando uma atmosfera acolhedora. Use um aromatizador para ajudar a explorar as técnicas de marketing sensorial.
  • Tire fotos para registrar este dia de organização comparando os espaços antes e depois das mudanças.
foto91
Área de Estoque – sinalização e etiquetas

O Senso de bem-estar é o resultado dos sensos anteriores, prevê aqui usarmos técnicas que tornem este ambiente mais acolhedor e em se tratando de varejo, mais estimulante às vendas.

Já o Senso de autodisciplina serão as regras de convivência e conduta que ajudarão a manter a organização, a harmonia no relacionamento interno e também com os clientes. Trata-se da busca constante para a melhoria dos resultados que poderá culminar na vantagem competitiva da empresa.

A sensação que fica depois desta organização é uma energia rejuvenescedora, é um estímulo a novos hábitos e ao mesmo tempo uma ruptura na rotina. Sonia Hess – empresária da Dudalina, em seu depoimento no evento comentou: Desânimo é a falta de alma. Precisamos de um varejo inovador que se dedique de corpo, mente e alma para superar os desafios e os novos padrões de consumo.

Vamos superar mais este desafio?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s