Inspiração

Volta às aulas

Muitas crianças voltaram às aulas esta semana, e vou pedir licença para neste blog escrever alguns textos que resgatam algumas memórias afetivas.

O primeiro dia de aula sempre me deixa eufórica, adoro começar um curso novo e talvez esta positividade venha da pré-escola. Eu devia ter uns três anos quando minha mãe teve a iniciativa de me matricular (nesta época chama-se “pró-escola”), mas foi uma iniciativa sem sucesso. Assim como outras crianças nesta idade, não me adaptei.

Os aluninhos eram maiores e mais velhos do que eu (tinham provavelmente 5 anos). A professora não se mostrou muito acolhedora e para tornar pior a situação, me derrubaram do gira-gira. Chorei, relutei e consegui adiar este momento na minha infância. Queria nesta época continuar explorando o quintal da minha casa e saber que minha mãe estava ali, pertinho caso precisasse.

Com 5 anos, me recordo que era um dia chuvoso e minha mãe disse: “Vamos, se apronte, que hoje é dia de fazer sua matrícula, no próximo ano você vai à escola”. E lá fui eu entediada, com a minha mãe na pré-escola do bairro.

Fui surpreendida: lembro de todos os detalhes do momento: do cheirinho de merenda, das crianças todas uniformizadas com a camiseta de “solzinho”, dos desenhos pendurados em prendedores decorando a sala de aula, dos alfabetos em cartolina e das cadeirinhas “pequenininhas” – era o mundo perfeito! Aquilo me encantou tanto que fui embora inconformada de ter que esperar dois meses para estar ali novamente.

foto32

Algumas semanas se passaram e logo chegou meu dia. Tínhamos uma vida muito simples, mas me lembro de todos os preparativos da minha mãe: comprou uma bolsinha de plástico transparente com alças vermelhas e um estojinho de madeira que vendia no empório. Dentro tinha que guardava um lápis Faber Castell, uma borracha Mercur (tinha a carinha de um hominho desenhado em azul) e canetas BIC azul e vermelha (na época só se usava caneta na 4ª. série!!!).

estojo de madeira Faber-Castell.jpg

Iniciei a pré-escola já sabendo ver horas, escrever meu nome completo, o nome dos meus pais e muitos dissílabos. Também gostava muito de desenhar. A pré-escola talvez seja a melhor época de nossas vidas, tenho apenas boas recordações deste período.

Posteriormente, veio o primeiro ano com a oportunidade de aprender a ler. Lembro que cantávamos Maria de Nazaré (catolicismo era presente na educação infantil) na saída da escola e a professora ia à minha casa falar com meu pai para levar boas notícias. Uma vez o motivo da visita, foi para falar que eu já havia concluído a famosa “Caminho Suave”. Recordo-me da professora conversando com meu pai e dizendo: “A Matielo está adiantada. Já terminou a cartilha, vai iniciar leitura de livrinhos educativos da biblioteca!”.

foto34.jpg

No segundo ano tive que mudar de escola – esta marcada de preconceitos por ser uma escola de periferia, mas na qual me deu a minha formação básica e com professores admiráveis que de fato contribuíram na construção do meu futuro e dos meus valores.

Na oitava série eu já dividia os estudos com as responsabilidades do trabalho (comecei a trabalhar com 13 anos de idade). Com a conclusão do ensino médio, fui fazer curso técnico em escola particular, mas para isto eu tive que abrir mão do meu pequeno salário na época.

Fiz faculdade, pós graduação e agora conclui um MBA da Fundação Getúlio Vargas. Definitivamente, não consigo ficar muito tempo longe da sala de aula, já começo a fazer planos. Os cenários mudaram e os desafios são outros, mas sempre sinto o mesmo fascínio pelo ambiente escolar.

Esta vontade de aprender acredito eu, que foi fruto dos estímulos do meu pai e de vários professores que foram deixando seu legado. Concluo este post com uma frase recomendada por um professor: Aprender é a única coisa de que a mente nunca se cansa, nunca tem medo e nunca se arrepende – o autor da frase, creio eu que seja Leonardo Da Vinci.

Anúncios

2 comentários em “Volta às aulas

  1. Hummmm, tô sentindo um cheirinho de mestrado aí!

    Eu também tenho belas recordações da trajetória acadêmica (acho que esqueci as lembranças más).
    Minha sala bisseriada (3º e 4º ano) na escolinha rural tinha 17 alunos quando me formei (e metade estava ainda no 3º ano). Foi um choque e um deslumbre fazer o ginázio na cidade.

    Bj, Lu!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s